Viçosa:31 3891-4518 | Ponte Nova:31 3819-5900

clinicaginecologica_va@yahoo.com.br

Blog

Nótula complementar sobre COVID-19 e Aleitamento Materno

Avalie este item
(0 votos)

Em complementação à extensa revisão publicada pelas Comissões Nacionais Especializadas (CNE) da FEBRASGO em Assistência Pré-Natal e Doenças Infecto-Contagiosas,(1) a CNE em Aleitamento Materno vem relatar esta breve nota específica sobre amamentação.

Até o momento desta publicação, o único estudo clínico disponível sobre transmissão vertical do novo Coronavírus afirma que, de nove pacientes com pneumonia causada pelo COVID-19, em seis, foi pesquisada a presença do vírus no líquido amniótico, sangue do cordão umbilical, leite materno e swab da orofaringe do recém-nascido. Todas as amostras se mostraram negativas.(2)

Apesar de tratar-se de análise retrospectiva de prontuários e da pequena amostra, esta é a informação científica disponível por ora. Deste modo, não há documentação de transmissão vertical durante a gestação, nem no período neonatal, através da amamentação.

Opinião emitida num consenso de especialistas chineses é contrária à evidência disponível, ao afirmar que, em tese, a possibilidade de transmissão vertical do COVID-19 não pode ser descartada e, por isso, deve ser contraindicada a amamentação, mesmo em casos apenas suspeitos.(3) Afirmam que o vírus deve ser pesquisado no leite de mães suspeitas ou diagnosticadas e, só se o resultado for negativo, os bebês podem ser alimentados com leite materno. Ainda, descrevem que o leite humano de doadoras hígidas também deve ser triado quanto à presença do COVID-19, pois afirmam que o vírus pode ser excretado no leite durante possível período de incubação da doença. Entretanto, não relatam caso algum de transmissão vertical do novo Coronavírus.

Duas revisões sobre o assunto, uma do Centers for Disease Control and Prevention (CDC) norte-americano e outra do Royal College of Obstetricians and Gynaecologists (RCOG), de Londres, enfatizam que, uma vez que a mãe seja esclarecida e esteja de acordo, seja praticado o aleitamento materno com as precauções necessárias: uso de máscara pela lactante e lavagem de mãos antes das mamadas.(4,5) Portanto, salvo alguma intercorrência que exija a separação do binômio, como, por exemplo, o agravamento das condições de saúde maternas, é perfeitamente possível que mãe e filho permaneçam em sistema de alojamento conjunto até a alta hospitalar.

Nas duas publicações, é destacado o fato de que, pelos conhecimentos atuais, os benefícios da amamentação superam quaisquer riscos potenciais de transmissão do vírus através do leite materno. Assim, as mulheres portadoras do COVID-19 que desejam amamentar, devem ser estimuladas a fazê-lo e tomar as seguintes precauções para evitar a disseminação viral para o recém-nascido:

- Lavar as mãos antes de tocar no bebê, em bomba extratora de leite ou, mesmo, em mamadeira;

- Usar máscara facial durante as mamadas;

- Seguir rigorosamente as recomendações para limpeza das ordenhadeiras após cada uso;

- Considerar a possibilidade de solicitar a ajuda de alguém que esteja saudável para oferecer o leite materno ordenhado ao bebê.

Fonte: FEBRASGO

Compartilhar nas redes sociais:

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

Atendimento em Viçosa

ONDE ESTAMOS

R. Padre Serafim, 243, sala 603/605, Centro, Viçosa-MG

Telefone: (31) 3891-4518

Whatsapp: (31) 98365-7022

clinicaginecologica_va@yahoo.com.br

Atendimento em Ponte Nova

ONDE ESTAMOS

Av. Francisco Vieira Martins, 498 A, Palmeiras, Ponte Nova Nova-MG 

Telefone: (31) 3819-5900

Whatsapp: (31) 98496-7055

clinicaginecologica_va@yahoo.com.br

 

Escolha a Clínica onde deseja iniciar uma conversa no Whatsapp